Profissões de TI: saiba em quais apostar!

A Associação Catarinense de Tecnologia – ACATE revelou um estudo, onde foram mapeados os profissionais de TI e as competências mais demandadas pelo mercado de trabalho. O resultado foi mais surpreendente do que se esperava. Somente no estado de Santa Catarina, as companhias da base tecnológica abrirão 16,6 mil vagas até 2023, e mais da metade são para os famosos “devs”, ou seja, desenvolvedores de software.

A área de tecnologia da informação (TI) tem cada vez mais se destacado, especialmente em Florianópolis que já é conhecida como o Vale do Silício Brasileiro. Este nome é em homenagem ao Silicon Valley, localizado na Califórnia, Estados Unidos, que possui esse apelido por ser a localidade onde estão situadas várias empresas de alta tecnologia.

Com a era digital, muitas empresas estão passando por mudanças que necessitam da criação de novos processos e estratégias. Daí nasce a relevância de compreender como a TI entra como a chave para resolução dessas questões, criando um diferencial competitivo e fazendo o negócio desses empreendimentos expandirem.

O que um profissional de TI faz?

 

Uma pessoa que trabalha nesta área é responsável por otimizar o tempo e os processos de uma determinada empresa, ajudando a aumentar a produtividade por consequência. É essencial para esse colaborador estar atento às novidades do mercado, já que a tecnologia se encontra em constante evolução e o que hoje é considerado moderno, daqui um semestre, pode estar obsoleto.

Independente do segmento de atuação de uma empresa, quase sempre é necessário ter algum colaborador da área tecnológica, já que a integração dos setores com a tecnologia é fundamental para que ocorra um crescimento e expansão dos negócios. Uma companhia que não acompanha o avanço tecnológico, fica parada no tempo e tende a perder diferencial competitivo no mercado.

Funções e competências mais demandadas

Atualmente as principais características de um profissional de TI consiste na sua habilidade e multidisciplinaridade de ir além da tecnologia a nível operacional. O grau de complexidade dos problemas vem aumentando cada dia a mais, por isso, a necessidade de ter profissionais da área mais especializados. Dito isto, a pesquisa feita pela ACATE, verificou que as funções mais procuradas pelo mercado são as seguintes:

  • Full Stack: Um profissional multifuncional, que entende de diferentes tecnologias voltadas ao desenvolvimento de software;
  • Back-end: A pessoa que possibilita a operação do sistema;
  • Front-end: Responsável pela parte visual, como apresentação, design, linguagens, cores, entre outros;
  • Analista de serviço e suporte de TI: Quem realiza a seleção e a implementação de hardwares e softwares da empresa, além de executar a manutenção de peças e sistemas de informática;
  • Analista de Negócio: Responsável pelo alinhamento entre as áreas de negócios e Tecnologia e Informação.

A mesma pesquisa também revelou as competências mais importantes e exigidas para que um profissional desta área se destaque no mercado. São elas:

  • Conhecimentos em metodologias ágeis;
  • Experiência profissional na área;
  • Habilidade em execução de projetos;
  • Domínio de linguagens de programação;
  • Comunicação com o cliente;
  • Inglês.

Por que os profissionais de TI preferem o trabalho remoto?

Mesmo após flexibilização das atividades na pandemia, os profissionais da tecnologia continuam optando por trabalhar em casa. Como são altamente requisitados no mercado, ocorrendo até uma falta de colaboradores neste ramo, o que resta para as empresas é tentar se adequar a essa preferência.

Os motivos pelos quais fazem esses trabalhadores preferirem o trabalho remoto são diversos. Uma pesquisa realizada pela GeekHunter, apontou que em primeiro lugar temos que o home office possibilita ter menos distrações e mais facilidade para atingir o foco desejado. Logo após, vem a economia de dinheiro e também de tempo, não necessitando de deslocamento ou interrupções. Um fator bastante importante também, é que esse estilo de trabalho permite que o empregado não possua endereço fixo, podendo realizar suas tarefas de qualquer lugar do mundo.

Com essa tendência cada vez mais forte, a WKoerich passou a dar mais espaço para empreendimentos que possuam um escritório na residência ou uma área em comum de coworking. Essas opções já são possíveis de serem observadas no Atlantique Residence, eStúdio Central e no Costa Azul Clube Residencial, por exemplo.


Coworking – eStúdio Central


Quiet Room – Costa Azul Clube Residencial

Se você se convenceu de que a TI veio para ficar como peça fundamental para o crescimento das organizações e procura por um residencial que te possibilite exercer o home office com tranquilidade, te convidamos a fazer uma visita em nosso escritório ou preencher o formulário para que um corretor entre em contato com você. 

     

    Compartilhe esta publicação